domingo, 11 de novembro de 2012

Aeroportos masculinos


Já passei nessa temporada pelos aeroportos do Recife, Gilberto Freyre; Fortaleza, Pinto Martins; Natal, Augusto Severo; Salvador, Luís Eduardo Magalhães; Rio de Janeiro, Antônio Carlos Jobim; Zona da mata, Itamar Franco; Navegantes - Ministro Victor Konder, Porto Alegre, Salgado Filho, e não encontrei nenhum com nome de mulher. Eu poderia passar por todos os grandes e pequenos aeroportos do país e não encontraria nenhum batizado com o nome de uma importante professora, médica, atriz, poetiza, dona de casa, artista, cientista...



Inda estou viajando, do Nordeste ao Sul do país e em poucos dias volto ao Nordeste. Tentei fazer um levantamento de em quantos aviões já subi, desde que saí de casa no meio de outubro, mas desisti. É tanta conexão que confunde a gente.

Talvez, se juntasse todas as horas que passei em aeroportos esperando subidas e decidas, dava para ter feito a volta ao mundo de teco-teco. Talvez, mas o fato é que estou escrevendo essa crônica daqui, desse ambiente regado a auto-falantes informativos, cafés de máquina e cadeiras pouco confortáveis.

Leio muito nesses momentos, mas fico um bocado à toa também. Olhando, olhando e, vez em sempre pensando um misto de nada com coisa nenhuma. Bão também para quem está no meio da escrita para a primeira banca de qualificação de doutoramento, obrigada a ocupar a mente com assuntos "sérios", filosóficos, sociológicos, epistemológicos e todos esses lenga-lengas que os intelectuais adoram e que tento me aproximar com meus fios, agulhas e tecidos.


Enfim, o fato é que é inevitável, nesses saguões de aeroportos, pensar sobre os aeroportos. Foi o que fiz. Fiquei pensando sobre o nome dos aeroportos pelos quais passei. Vejam só: Rio de Janeiro - Antônio Carlos Jobim; Recife - Gilberto Freyre; Fortaleza - Pinto Martins; Natal - Augusto Severo; Salvador - Luís Eduardo Magalhães; Zona da Mata - Itamar Franco; Navegantes - Ministro Victor Konder; Porto Alegre - Salgado Filho. Notou? Percebeu alguma característica comum? 

O que todos esses nomes têm de semelhante? Isso mesmo! São todos nomes de homens. 

Essa característica me levou (delírio de quem tem de ficar inventando o que fazer enquanto a conexão não acontece), pois bem, me levou a fazer um levantamento de todos os aeroportos do país, já que a ausência de um aeroporto feminino poderia ser somente coincidência. 

Então, pasmem: dos 722 aeroportos listados pela ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil, nenhum - repito - NENHUM tem nome de mulher. Temos deputados, músicos, poetas, governadores, senadores, prefeitos, mas não temos nenhuma mulher que tenha feito jus a batizar um aeroporto.

É uma pesquisa de saguão de aeroporto, mas dá o que pensar, não é mesmo?

É bom dizer que, na lista da ANAC, há nomes femininos sim. São 19 aeroportos com nomes de mulheres, todas santas - repito: todas SANTAS.

 Pode-se concluir, antes de entrar no avião que, mulher para virar aeroporto só sendo santa.


Impresso e publicado originalmente em 3 de novembro de 2012 (atualizado hoje, após mais três aeroportos masculinos).  

Um comentário:

  1. A observação deveria nos aborrecer, mas nos causa graça! É típico dos homens, só valorizam as santas!

    ResponderExcluir